esquadraodavidapp@hotmail.com

Orientações para Acolhimento

A Comunidade Terapêutica “Esquadrão da Vida” utiliza o modelo de atendimento psicossocial e tem por finalidade restabelecer a cidadania dos acolhidos, através do fortalecimento pessoal e sua reinserção social e familiar.

A equipe é composta por coordenador, psicólogo, assistente social, nutricionista, monitor de cozinha, monitores sócio educativos, auxiliar de escritório e motorista.

A proposta de acolhimento para tratamento varia em uma média de seis (6) meses e se apresenta em três fases:

  • Fase 1 – Adaptação
  • Fase 2 – Conscientização da problemática
  • Fase 3 – Reintegração social e familiar

A adesão e permanência ao programa terapêutico é de forma voluntária, bem como o direito de desistência a qualquer momento e no caso de desistência, familiares e/ou responsáveis serão devidamente comunicados.

As fases são estruturadas para se trabalhar de forma dirigida. A fase de Adaptação, ou fase 1, se inicia no processo de acolhimento e dura aproximadamente 45 dias; nessa fase trabalha-se a motivação para o tratamento, estruturação de vínculos, conscientização da doença e da proposta terapêutica, sinais de abstinência, entre outros pontos. Na fase 2, ou fase de Conscientização da problemática, mantém o trabalho nos pontos até então abordados e acrescenta-se o exercício do autoconhecimento, técnicas de prevenção de recaídas, habilidades sociais, ressocialização, fortalecimento de vínculos familiares, capacitação profissional, etc. Na fase 3 (Reintegração social e familiar) foca-se na construção do projeto de vida do indivíduo, orientação financeira, conclusão da proposta terapêutica, etc. Em todas as fases trabalha-se a qualidade de vida, sentimentos emergentes, espiritualidade, habilidades pessoais e criatividade, processo de mudança e demandas particulares de cada acolhido.

O serviço possui fluxo estabelecido com a rede pública de saúde e assistência, bem como o Centro de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas (CAPS – AD), o Centro de Referência e Assistência Social (CRAS), a Unidade Básica de Saúde (UBS), Unidades de Pronto Atendimento (UPA), SENAI, Fundo Social de Solidariedade, Associação Prudentina para Prevenção a Aids (APPA), DST Aids, Poupatempo, Narcóticos Anônimos (N.A.), Amor Exigente, entre outros.

Passo a Passo para o Acolhimento

É importante que o órgão encaminhador (Caps, ESF, UBS, Saúde Mental, Assistência Social, etc.) de alguma forma esteja acompanhando a pessoa interessada em acolher-se na Associação Prudentina para Prevenção dos Vícios e Recuperação de Vidas. Informações sobre seu histórico e frequência do uso de substâncias, buscas por ajuda anteriores e o que o motiva para essa forma de tratamento, serão de fundamental importância para que se possa estruturar seu Plano Terapêutico Individual (PAS).

Diante da ciência do indivíduo de que a Comunidade Terapêutica não permite o uso de tabaco, será necessário confirmar sua voluntariedade, verificar se ele tem entre 18 e 59 anos de idade, se é do sexo ou gênero masculino, se não apresenta comorbidades psiquiátricas que sobreponham à dependência química e não apresenta limitações clínicas e físicas que comprometam o desenvolvimento de seu plano terapêutico.

Sequencialmente procede-se aos esclarecimentos da proposta da Comunidade Terapêutica ao acolhido, com seu encaminhamento para:

● Avaliação médica, para elaboração da Anamnese Psiquiátrica (em Impresso da Rede que encaminha ao serviço) e encaminhamento médico com indicação da Aptidão do indivíduo para ser inserido em Comunidade Terapêutica (pode ser em Receituário ou ambos em um mesmo impresso);

● Realização de exames laboratoriais (Hepatites B e C, Anti-HIV e Sífilis);

● Avaliação Odontológica;

● Providenciar medicamentos e/ou adesivos de nicotina+prescrição médica (pode ser cópia), caso esteja em uso.

Com a chegada à Comunidade Terapêutica, o interessado no processo de acolhimento passará por avaliação técnica (profissional Psicólogo ou Assistente social), para esclarecimento da proposta terapêutica, avaliação da perspectiva e perfil do indivíduo, além da confirmação do interesse voluntário antes da efetivação do acolhimento.

No ato do acolhimento, o interessado deve apresentar todos os documentos pessoais originais (RG, CPF, Título de Eleitor, Carteira de trabalho, Cartão SUS, Carteira de Vacinação), uma foto 3×4, todos os exames e avaliações solicitadas.